O solo é um dos componentes mais importantes em uma obra de engenharia, pois é responsável por dar suporte às construções. Por isso, para um bom desempenho da edificação, é fundamental um bom projeto geotécnico.

Esse tipo de projeto é fruto de um conjunto de análises, interpretações e conclusões sobre as investigações feitas em campo e em laboratório. Além disso, são necessários estudos, cálculos, desenhos, especificações e relatórios para elaborá-lo.

É preciso lembrar que a geotecnia estuda o comportamento dos solos e das rochas em relação às ações do homem. Sua aplicação é importante em inúmeras situações, como na prevenção de desabamentos, desmoronamentos, deslizamentos e problemas estruturais em edificações.

Neste post, explicamos melhor o que são os projetos geotécnicos, como eles funcionam, qual a sua importância e quais as vantagens que oferecem para as obras de engenharia. Continue a leitura e esclareça suas dúvidas.

Quais são os principais tipos de projetos geotécnicos?

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), um projeto geotécnico consiste na orientação dos seguintes serviços:

  • escavações a céu aberto;
  • aterros;
  • fundações de estruturas;
  • escoramentos e arrimos;
  • drenagem, esgotamento e rebaixamento;
  • estruturas enterradas;
  • túneis em rocha e solo;
  • barragens e estruturas anexas;
  • pavimentos;
  • estabilização de taludes naturais;
  • desempenho de obras.

Como eles funcionam?

A elaboração dos projetos geotécnicos pode ser dividida em três fases. São elas: a viabilidade, o projeto básico e o projeto executivo.

A etapa de viabilidade é responsável por ampliar o nível de detalhamento e entendimento do solo, para que seja mais fácil prever o custo da obra e seu prazo de conclusão. Esse estudo permite que os profissionais identifiquem o que é tecnicamente possível e financeiramente viável, além de definir a expectativa de cronograma. Ela é composta por reconhecimento preliminar, inventário, pré-viabilidade e anteprojeto.

O projeto básico é o estágio em que se fixam e esclarecem os principais componentes da construção, se cria o memorial descritivo e se dá início à montagem das planilhas da obra. Nessa fase, é preciso fazer cálculos estruturais, desenhos e especificações técnicas, além de reunir os documentos necessários para a aquisição de equipamentos.

Por fim, a fase de projeto executivo consiste no detalhamento e na revisão do projeto básico, sem que haja modificações nos parâmetros preestabelecidos. Seu principal objetivo é detalhar o que foi previsto e será executado.

A depender da característica e do tamanho da obra, pode ser preciso acompanhar a execução e a produção de documentos “as built” (como construído). Isso é necessário porque as obras geotécnicas estão sujeitas a imprevisibilidades do subsolo, que alteram o projeto original. Esse tipo de demanda deve ser verificado e validado pela equipe de projeto.

Em resumo, o projeto geotécnico deve ter:

  • plantas de localização das obras de terra;
  • cortes e seções do terreno;
  • detalhes de projeto das obras de terra;
  • orientações para execução do projeto;
  • memória justificativa;
  • memória de cálculo.

Qual a importância das investigações geotécnicas?

As investigações geotécnicas são atividades de campo e laboratório, executadas para o reconhecimento do subsolo e para a classificação e a determinação dos parâmetros geomecânicos dos materiais e das camadas que o constituem.

Os serviços necessários para sua execução são:

  • levantamentos de dados gerais;
  • cartografia;
  • geologia;
  • pedologia;
  • geomorfologia;
  • hidrologia;
  • hidrografia;
  • geotecnia;
  • reconhecimento topográfico;
  • reconhecimento geotécnico;
  • prospecção geofísica;
  • sondagens mecânicas;
  • ensaios in situ (laboratórios).

Todas essas ações permitem que se preveja o comportamento do solo. Isso reflete diretamente na segurança e no desempenho adequado da edificação. Para isso, ter o suporte de uma empresa especializada pode ser a chave do sucesso: ela atuará na construção das fundações, das investigações geotécnicas à execução em si.

Por que o projeto geotécnico é importante?

Todo empreendimento que usa o solo como material de construção requer um projeto geotécnico. Eles são mais comuns em algumas atividades, como as obras de aterro e fundações.

Muitas vezes, há uma preocupação com a execução correta do procedimento e esquece-se de que é preciso ter cuidado com o local que receberá o material. Em outras palavras, o projeto de fundações é muito importante em uma construção, independentemente de suas características.

Vale ressaltar que o aterro é feito em cima do solo, para ganhar altura. Então, é essencial verificar se o terreno que será usado como fundação é capaz de resistir ao peso do aterro e às demais solicitações de esforço.

Obras de fundação demandam projetos geotécnicos para seu dimensionamento e sua correta execução. Do mesmo modo, a verificação de desempenho também exige esse tipo de projeto, de forma a evitar riscos à população.

Uma fundação mal projetada pode colocar o investimento no empreendimento em risco. Um exemplo do tipo de problema que pode ocorrer é a tragédia da Barragem de Bento Rodrigues, em Mariana. Por falhas em projetos geotécnicos, a construção sofreu um colapso.

Outro exemplo que demonstra a importância da investigação geotécnica é a Millennium Tower, em São Francisco, nos Estados Unidos. Construída em 2009, teve investimento na casa de R$ 2 bilhões. Contudo, mesmo com toda a tecnologia à disposição, o edifício afundou quase meio metro para dentro do terreno.

É possível dizer, então, que a falta de um estudo geotécnico pode representar grandes prejuízos financeiros e até verdadeiras catástrofes — principalmente quando se analisa o aspecto humano.

Quais as vantagens de contratar esse serviço?

Empresas de geotecnia e engenheiros geotécnicos são capazes de solucionar os principais problemas da obra em relação ao solo. Infelizmente, em muitos casos os projetos geotécnicos não são elaborados corretamente: muitas vezes, são feitos por profissionais não especialistas.

Um projeto mal elaborado pode comprometer o desempenho da edificação. Por isso, o ideal é separar o aspecto estrutural do geotécnico, para que cada profissional atue exclusivamente em sua especialidade.

Projetos de fundação devem ser feitos por engenheiros geotécnicos, não estruturais. O contrário também é verdade: para calcular vigas, pilares e lajes é necessário procurar por um engenheiro estrutural.

Em um projeto de estacas, por exemplo, o principal objetivo de um projetista estrutural é impedir que elas se quebrem. Já o engenheiro geotécnico além deste cuidado deve ter a preocupação de evitar que elas afundem. A famosa interação solo-estrutura.

Outro grande benefício de se investir em projetos geotécnicos é o cuidado com a segurança. Isso porque sua elaboração exige boa investigação do solo, bom reconhecimento topográfico, sondagens, ensaios em laboratórios e outras atividades.

E aí, gostou dessas informações? Ficou com alguma dúvida sobre os projetos geotécnicos? Então, entre em contato com nossos consultores especialistas: eles estão prontos para ajudar você.